A festa terminou

Aquele texto estranho e melancólico "A festa nunca termina" não faz mais tanto sentido agora. Teve um dia que eu finalmente acordei e fui para o trabalho. E muitos finais de semana que não fui dançar em festas, nem tomar vários drinks, muitos programas de rádio que não ouvi. Não senti mais ausências, apenas saudade de pessoas, mas não ausência. Me vi como adulta finalmente, depois de tantos anos me achar tão 19 anos.
Dia desses assistindo a um curta, me deparei com toda a minha visão de mundo adolescente. Uma representação estética perfeita. Mas me vi distanciada daquilo tudo, um pouco saudosa, e ao mesmo aliviada. Diferente de quando vi o filme baseado em HQ "Ghost World", no qual me sentia ainda tão como a menina que não queria enfrentar o mundo adulto.
Me sinto frágil ainda, mas assumo melhor minhas responsabilidades. Encontrei valor em coisas diferentes e mais simples.
Paixão platônica agora é algo tão remoto e insosso. Parto para ação, se der certo deu, se não, uns dias de fossa não mata ninguém. E um dia aprendo a reagir de outra maneira.
Meta 2015: aprender a reagir.

Comentários

Postagens mais visitadas